14 fevereiro 2017

Faltam 5 minutos para o toque...

O primeiro dia em que ia sozinha para a escola.
Deixei-a entra na carruagem no metro, depois de a relembrar que tinha de me ligar quando entrasse na escola. As portas fecharam e ela ia com um sorriso de satisfação.
Ainda pensei apanhar o metro seguinte, para ter a certeza de que tudo corria bem, de que se fosse preciso alguma coisa eu estava perto.
Mas não, fiquei à espera do telefonema.
Antes que se esquecesse enviei uma mensagem, para o caso de já ter entrado na aula - respondeu que tinha chegado.
Fiquei aliviada... mas durante pouco tempo. A minha imaginação, fermentada com séries televisivas odiosas com as mais elaboradas formas de rapto, torturas e crueldades, não me deixou confiar no sms. Precisava de ouvir a voz dela.
Enviei novo sms, para que me ligasse no intervalo. 
A hora do intervalo chegou e nenhum telefonema. Liguei eu, umas quantas vezes para ir ter ao voice mail. Enviei um sms a uma colega pedindo que lhe dissesse para me ligar urgentemente. A hora do intervalo chegou ao fim e mais uma vez não houve telefonema.
Envie-lhe novo sms "Liga-me imediatamente!". E agora espero ansiosamente o tempo do próximo intervalo, enquanto tento apagar da minha imaginação todas as histórias horríveis que conheço. 
Faltam 5 minutos para o toque...

Sem comentários: