06 janeiro 2016

Queixinhas e divulgação


Não me parece nada boa ideia gastar 10 milhões a empatar o trânsito em Lisboa. Seria preferível investir esse dinheiro em transportes ou habitação ou a salvaguardar os espaços verdes ou a criar novos onde é possível (Feira popular, por exemplo). Criar o caos no meio das árvores é irrealista, pretensioso, ridículo, obsoleto e um atentado à qualidade de vida dos lisboetas, que tem vindo a diminuir cada vez mais. Apenas os autocarros de turistas terão prazer em circular a 60km/h no meio das árvores. Ou se tiram as empresas de Lisboa e se colocam nos arredores, onde moram pessoas, ou se colocam pessoas em Lisboa, onde estão os seus empregos. Agora, afastar uns dos outros e depois criar obstáculos para que cheguem ao trabalho e a casa é de tal forma egoísta que penso que a única razão porque o fazem é por causa dessa praga chamada turismo, que cada vez mais transforma a cidade num local vazio de lisboetas e portugueses. Um dia destes estamos como no terceiro mundo: à porta dos monumentos a pedir uma moeda cada vez que nos tirarem uma foto da espécie em extinção: o alfacinha.

Estou há 5 meses com obras à porta de casa, para alcatroarem o piso. Noutras vias de Lisboa fizeram-no em 3 ou 5 dias. Gastaram 667 000€ na minha rua. Os moradores estão todos fartos e quando pudermos usar a rua normalmente não haverá nenhuma euforia, porque apenas regressamos à normalidade. Não sei o que se passa com a"alcatroagem", mas cheira-me que alguém mete dinheiro ao bolso. 
Tudo isto, para justificar o meu desagrado com esta coisa apesar de eu adorar o verde e desgostar de viadutos sobre as cidades. 
E eu nem uso a segunda circular...

NOTA POST SCRIPTA
Depois da minha queixinha li o plano, vi a memória descritiva e acho que os objectivos são bons: melhorar o ambiente, dar uma dimensão mais humana à cidade, enverdecê-la...
Já não sei...
As questões que coloco são:
- Terá de ser assim tão caro?
- Está assegurado que as pessoas que têm de usar a 2ª circular vão conseguir fazê-lo?
- O preço do projecto reflecte um trabalho bem feito? Por exemplo, nas imagens os candeeiros estão acima de árvores de copa frondosa: a luz chegará ao piso?
- Terá sentido transformar uma via rápida num via normal, com passeios? Estarão as pessoas seguras?
Enfim... 

2 comentários:

gralha disse...

Olha, fizeste-me olhar para este assunto com outros olhos. Acho que tens razão.

A propos do teu post de encerramento de 2015: tenho a sensação que os blogues estão mesmo a acabar. Desta é que é. Mas fico muito contente enquanto continuares a escrever aqui, mesmo que só de vez em quando. Bom ano :)

mm disse...

Ah, mas eu também já olho com outros olhos... Talvez não seja tão mau.