02 dezembro 2015

o saber ocupa lugar

Depois de um período intensíssimo de estudo em que tentei praticar ao máximo o ditado popular de que "o saber não ocupa lugar" durante o qual me esforçava a todas as horas e até ao máximo da minha atenção por "enfiar" matéria nova na cabeça, agora chego à noite e não sei o que hei-de fazer. Sinto falta de aprender coisas novas. Os romances já não me entusiasmam. Quero saber coisas sobre a Europa, a História Mundial, a Cooperação Internacional, quero ler regulamentos e decretos, fazer contas, saber como funciona o país, política! ... sei lá...
Continuo a ter a tese para fazer, mas estou ávida de matéria nova!

Das duas uma: ou frequento novas secções das bibliotecas ou isto passa. 

(está sempre a expirar o limite de visualizações do Público...)

1 comentário:

gralha disse...

Olha que não há vida para tanto romance que vale a pena. É preciso é encontrá-los no meio da lixarada que se publica.

(pois estão)