22 janeiro 2015

do bom para o mau

Uma pessoa vai com o carro à inspecção depois de lhe ter posto uns pneus novos, umas lâmpadas e escovas e fica feliz porque ele passa sem nenhuma observação: assim começa um dia bom!
Pouco depois uma amiga médica diz-nos para irmos às urgências para termos uma consulta de dermatologia com uma colega dela. Sendo a utilização das urgências para consultas algo que desaprovo, fui, mas envergonhada. No final apenas tive o raspanete por usar as urgências sem motivo e explicaram-me que "existe uma coisa chamada consulta de dermatologia".
Saí de lá mal comigo mesma.
Depois, por uma qualquer falta de lubrificante no carro, ao abrir o porta malas, bati com força com a cabeça na mala do carro. E foi a partir daqui que o dia começou a correr mal: quando dei por mim fundiu-se mais uma lâmpada do carro, bati mais duas vezes com a testa na porta do porta-malas (à terceira fiquei em fúria!) e quando chego a casa oiço notícias de pessoas que ficam 9 horas à espera nas urgências, para me sentir ainda mais culpada e envergonhada por as ter usado.
E, por tão pouco, o dia acaba com uma sensação de frustração, de inutilidade e de vazio.

2 comentários:

gralha disse...

Sobretudo não tentes tirar daí significados filosóficos. É só falta de lubrificante. Já passou.

mm disse...

Não tiro. Falta de óleo é tudo.