12 janeiro 2015

Balanço de 2015

Sabemos que as crianças têm uma noção do tempo diferente da nossa.
A Mariana perguntou-me há uns dias o que tinha sido para mim o melhor deste ano. Perguntei "Deste? Ou de 2014?". "Deste", respondeu. Ainda argumentei que não tinha passado tempo nenhum. Insistiu.
Então, o melhor de 2015 foi a passagem de ano.
Saímos do Metro às 23h57. Parecia que havia ameaça de bomba no metro. Tudo corria como doidos para sair dali. Nós corremos também. Chegadas lá acima, o fogo de artifício já estava a dar. Corremos  de mão dada pela Rua da Prata lado a lado, debaixo das iluminações da rua e com o fogo de artifício ao fundo. Quando olhava para o lado via a cara dela a sorrir.



No primeiro dia do ano, descobrimos, com os primos, um tubo gigante que fez a maravilha de miúdos e graúdos: festarola de percussão urbana. Pareciam os Stomp!



Sem comentários: