25 junho 2014

O sono fugitivo

O sono fugiu.
Primeiro porque havia uma candidatura a ser feita, com poucas esperanças de resultados.
Depois houve um colóquio a organizar em simultâneo com a escrita de uma comunicação.
Depois mais novas candidaturas e redacção de projectos.
O sono voltou por uns dias, até que a data de publicação de resultados se aproximava.
Os resultados vieram, a bolsa foi conquistada e o sono bazou diligentemente para parte incerta com todas as novas questões se colocavam: viagens, alojamentos, financiamentos, preços, escolhas, distâncias, indecisões, dúvidas, perplexidades. O sono desapareceu.
Depois a cada decisão tomada, o sono regressava mas por breves momentos, porque as decisões, apesar de tomadas, continuam a angustiar pela incerteza de terem sidos as melhores.
Aproxima-se o momento, a viagem, a partida, a aventura e o sono foge, foge, foge...
Quando voltará uma noite bem dormida? 
Cá? Lá? Ou só depois, cá?


3 comentários:

gralha disse...

Que boas notícias, parabéns! :)

(eu aguardo o resultado da avaliação às unidades de I&D para saber o meu futuro depois de Dezembro...)

mm disse...

Esta vida de investigador é mesmo desamaparada. Boa sorte!

Paula disse...

Ou lá, quando te instalares, descobrires o teu homem à paisana (estou a falar do de Paula, mas...)e começares a aproveitar as corridas no calçadão, ou cá quando regressares. Acho que lá já vais conseguir. E quando voltares, bebes uma caipirinha um suco e vais ter boas noites de sono, certamente (com a M. por perto para matar saudades).