26 fevereiro 2014

Sair do youtube

... quando nas sugestões de vídeos aparece a primeira imagem ordinária.

A tendência para ver porcaria é grande...

20 fevereiro 2014

Lamento pelo meu pé*

Lamento-me pelo meu pé, mas lamento-me pelo tempo e pela impossibilidade que antevejo de correr a minha primeira meia-maratona. Tenho a certeza de que não vai acontecer.
Pensei que uma semana de repouso faria tudo, mas creio que em engano. Ainda irei experimentar. Duvido.
Terei de treinar para uma próxima. Se calhar é por etapas muito pequenas que lá chego: 1º penso no assunto durante alguns anos, 2º treino alguns anos sem me inscrever, 3º inscrevo-me, mas não participo, 4º ???? Será participo, ou ainda haverá(ão) mais etapas antes disso. 
Queria que fosse uma corrida antes dos 40. Talvez que seja antes do 50.

Entretanto fiz anos.

Queria escrever textos aqui, mas não sai nada.

Espero, conseguir escrever textos para outros sítios.


 * o título é uma paródia de "lament for my cock" dos Doors. Cada um tem as suas partes do corpo a lamentar...

07 fevereiro 2014

os meus dez livros


não são só livros que marcaram a minha vida, mas também que fazem parte de marcas da minha vida.

mendigos e altivos, albert cossery - com este livro quis ser mendiga. felizmente a educação conservadora dos meus pais impediu-me de me encostar à esquina de mão estendida e vida incerta e hoje, graças a deus, sou bolseira!
sidharta - gosto muito daqui da ideia do bem com a inexistência do mal. O bom sem o mau por contrapartida. Bom por bom, é muito bom!
uma aventura no supermercado - ri muito com este livro (na altura em que saiu). Para mim é o mais divertido desta colecção.
mil sóis resplandecentes - li-o por meio de um conselho num blogue. Livro magnífico! De chorar muitas vezes. Comovente. Já li todos os outros do mesmo autor e também vi o filme!!!
terra bendita, pearl s. buck - Li-o numa altura em que achava que a minha miséria estava próxima e antevia o meu futuro nas imagens daquela família a fazer caldos com três feijões, beber o caldo ao almoço e guardar os feijões cozidos para o jantar.
marley e eu - pedi ao meu pai que me levasse este livro ao hospital quando fui parir. A inocência de achar possível estar numa maternidade a ler um livro deitada na cama. Li-o quando cheguei a casa e diverti-me tanto que tinha de parar de ler para não rebentar pontos com as gargalhadas.
os lusíadas - é um livro para todas as ocasiões: para momentos de ladainha, para momentos de pressa… há sempre uns versos que vêm à memória para ilustrar situações do dia-a-dia. Gosto muito e tenho pena de não ter mais versos decorados.

sim, sei - nem são dez e nem todos têm autor. e faltam maiúsculas... É o que se chama WORK IN PROGRESS!!!