25 janeiro 2014

as calças elegantes

As casas elegantes fora adquiridas por necessidade.
Depois de uns tempos de vida informal, a dona das calças começou a entrar num mundo onde a forma de vestir era importante. Nem sempre, mas de vez em quando. Por isso foi necessário comprar umas calças elegantes, que lhe permitissem ter o estilo e a elegância conveniente ao evento. Por os eventos serem poucos e a carteira da dona das calças reduzida, a compra das calças elegantes foi pensada, ponderada entre vários modelos, entre algo que fosse versátil para Verão e Inverno e que não fosse demasiado singular para se notar a repetição da indumentária nas diferentes ocasiões.
Escolheu-se então um modelo que satisfazia todos os requisitos.
Quase todas as calças, elegante ou não, possuem um excesso de comprimento que é necessário rectificar com uma bainha (ou apenas dobrando, quando a elegância não está em jogo). Neste caso, foi estudada uma bainha. Ponderada. 
A ponderação levou a que nas primeiras utilizações se tivesse optado pelo uso de alfinetes, devidamente ocultados, para que a medida da bainha fosse a perfeita, antes de se proceder à costura definitiva. Após a decisão sobre o tamanho da bainha, foi ainda necessário algum compasso de espera até que a dona da calça ensaiasse a costura em roupas informais. Depois de quatro bainhas feitas com relativo sucesso e aprovado o comprimento da mesma,  num frio dia de inverno procedeu-se à marcação da linha de corte. Depois cortou-se... muito mal!

E assim, em menos de um minuto, as calças elegantes transformaram-se num modelo ideal para o Huckleberry Finn, com uma perna desproporcionalmente mais curta que a outra.

Como é fácil perder a elegância...


13 janeiro 2014

pró-activa

Este Janeiro anda a mil à hora: é o isto, o aquilo, mais o que disse que fazia e o que queria fazer, tudo junto, para parecer, e ser, uma pessoa muito activa, pro-activa até!!!
Não estou cansada, contudo. Só em início de stress.
Parece que são coisas de mais, que são demasiados projectos. Mas estes dois anos de bolsa que faltam deixam-me assustada: e depois? Depois da bolsa é o quê?! 
Provavelmente o nada. 
Mas para evitar um nada triste, ando com projectos, organizar colóquios, inscrever-me em grupos de trabalho internacionais, palestrar comunicações, escrever artigos, justificar pedidos de apoios para viagens científicas a arquivos estrangeiros... uff!
"Estás muito dinâmica!" dizem os outros.
Não é só dinamismo... Estou é com muito medo de não mostrar como sou tão pro-activa, eficiente e rentável que mereço qualquer bolsa ou projecto para o qual concorra daqui a 2 anos.
Sim, porque a casa só fica paga daqui a 40....

10 janeiro 2014

Primeira corrida do ano

A primeira corrida do ano foi uma corrida esperada, planeada, preparada e muito sentida.
1º acabar com as dores com 5 dias de anti-inflamatório
2º comprar ténis novos com bom amortecimento
3º vestir roupa indicada para não ter frio
4º sessão de 20 minutos de aquecimento com yoga for runners
5º corrida em passo lento e com muita atenção às queixas do corpo
6º sessão de alongamento de corredores, com sessão de alongamento da coxa/anca

Resultado: enorme alegria por ter voltado aos treinos. 

03 janeiro 2014

velhas resoluções de ano novo

1. mais exercício, comer melhor
2. iniciar projectos
3. ter mais confiança em mim: arriscar mais a nível intelectual e físico
4. dedicar-me aos livros de alguma maneira
5. estar mais disponível para as pessoas
6. esquecer rancores e ódios
7. tomar decisões bem pensadas, não ser impulsiva
8. não ser avarenta, mas consegui poupar
9. preparar um futuro mais alegre para mim
10. preparar um futuro mais alegre para a Mariana e ter mais disponibilidade para ela
11. [perdeu-se]
12. [perdeu-se]

Estas eram as resoluções de 2010. Encontrei-as guardada no frasco das "Coisas boas de 2013". (????)


Vou iniciar um novo frasco. 

02 janeiro 2014

Balanço

Olho ali para a coluna debaixo e constato que cada vez escrevo menos. Gostava de escrever mais. Coisas giras! Fixes! Iupi, a vida!!! 
Assim, coisas reconfortantes, alegres, assertivas, textos completos (introdução, meio, conclusão), ideias bem expressas, opiniões fundamentadas, por aí fora...

Enfim, blá, blá, blá,...  2014... ano novo... página em branco.... a nossa vida somos nós que  a fazemos blá blá blá... esperança....

Por agora uma só decisão: que no final do ano mais que 38 posts tenham sido aqui escritos. (Isto é que é aspirar alto!...)