27 novembro 2013

O presente pós-stress

Quando era pequena o meu pai fez vários exames à Ordem dos Médicos, uns para uma coisa, outros para outra. Lembro-me de a minha mãe escrever o currículo à máquina várias vezes e de haver um stress familiar porque eu e as minhas irmãs não devíamos fazer barulho nem chatear muito.
Numa das vezes em que essas provas foram superadas com sucesso (como sempre acontecia) o nosso pai levou-nos a Feira Popular para nos agradecer o termos portado bem e termos ajudado enquanto ele estudava. Naturalmente não me lembro de termos feito nem uma coisa nem outra, mas aproveitámos a feira: andámos nos carrinhos e carrosséis, comemos doces e chupas e levámos recordações para casa. 
Tantos anos passados, estou eu do outro lado, e acabada uma tarefa que me deu algum trabalho e me retirou muita da paciência que devia despender com a minha filha, eis que lhe digo: "Vamos onde quiseres por te teres portado tão bem enquanto eu tinha de trabalhar." E lá fomos nós andar de bicicleta para a Expo, almoçar no café,  visitar o Pavilhão do Conhecimento, jantar fora e comer gelados.
Acho que no fundo é um pedido de desculpas pela falta de paciência que tivemos durante uns tempos e um agradecimento por continuarem a gostar nós apesar disso. 
Viva os pais e viva os filhos!

Sem comentários: