08 maio 2013

suor e pêlos

O que é que aconteceu para que as marcas de suor nas axilas sejam agora algo tão embaraçante como um macacão a sair do nariz ou uma mama fora do biquini?
De há algum tempo para cá quando me acontece passar por revistas ou programas que pretendem apanhar os famosos em flagrante aparecem essas imagens do suor.
Pode ser estar fulano num concerto, ou numa sala cheia de gente; pode ser que seja uma mancha de 4 centímetros de diâmetro, mas bolas! que escândalo! Suou!!!
Eu suo. Sou humana. 
Às vezes é preciso subir 6 andares rapidamente e não dá jeito ir com os braços no ar para evitar o escândalo da mancha na axila; outras vezes há de repente um aperto no autocarro e não conseguimos despir-nos a ponto de evitar o suor nem sequer nos sentimos à vontade em soutien no meio de tantos desconhecidos; a filha também nos pede para levar a mochila, o casaco, o peluche, mais o nosso casaco, a nossa mala e o saco do talho e de repente o sol brilha impiedoso e... FLAGRANTE, HUMILHAÇÃO, ESCÂNDALO!!!!
Felizmente não sou seguida por paparazzi, por isso posso suar sem humilhação pública, mas na verdade começo a sentir-me apontável quando sinto um suorzinho.
Estas banições e interdições do que é natural da aparência humana fazem-me confusão.
Os pêlos já foram há muito tempo, e agora se não tivermos sobrancelhas arranjadas já temos o dedo apontado. Pêlos à vista!? É para fugir com medo do apedrejamento. Até os homens, agora...! Os meus vão-se, mas às vezes gostava que a pressão social fosse menor, que eu própria não me sentisse tão mal com um pelo ou outro. Mas já fui lavada cerebralmente pela pele imberbe. De tal forma que olho para a minha filha com pena, quando vejo naqueles pêlos dos braços o quanto ela sai à mãe (e o pior é que faço parte de um grande grupo).
E agora o suor... como é que uma pessoa se há de escapar a isto? Como não suar quando está calor? Teremos de andar todos de alças?

Queria que nos sentíssemos bonitos mas sem ser por obrigação: só porque nos apetece agradar e não porque temos receio da humilhação. 

2 comentários:

Colher de Mãe disse...

Ahahahah!!!! Adoro!!!

gralha disse...

Perdoa-me a expressão mas: caga nisso :)

(cada vez sou menos escrava dessas ditaduras, é a vantagem de ser uma comum mortal)