07 dezembro 2012

recriminação não!

8h00
Oiço o toque do despertador. Digo a mim própria "Sai da cama e começa a despachar-te para depois não nos atrasarmos. Acorda já a Mariana e começa a vestir-te e a tratar do pequeno-almoço."
Ponho o despertador para tocar daí a 10 minutos

8h10
Oiço o toque do despertador. Digo a mim própria "Já devias ter saído da cama. Começa a despachar-te para depois não nos atrasarmos mais. Acorda já a Mariana e começa a vestir-te e a tratar do pequeno-almoço."
Ponho o despertador para tocar daí a 10 minutos

8h20
Oiço o toque do despertador. Digo a mim própria "Já são 8h20!? Tenho de me despachar, acordar a Mariana, fazer o pequeno-almoço... Vamos chegar atrasadas!!!". E saio da cama e começo a acelerar em tudo. Abano-a miúda dizendo-lhe: Já estamos atrasadas! Temos de nos despachar!
Não há tempo para molezas, para espreguiçar, para contar uma história, um sonho, distrair-se com migalhas, ou com o casaco, ou duvidar da roupa que se leva vestida. É a despachar! É a despachar!
E o tempo todo em que corro de um lado para outro recrimino-me:
Não devia ter ficado a ver televisão até tarde! Porque assim não tinha sono hoje de manhã... Não devia ter deixado a Mariana a brincar até tarde, para ela acordar bem hoje de manhã!

durante a manhã
Digo a mim própria: "Vai correr. Vai trabalhar para a biblioteca. Pára de ver séries no computador. Não comas pão nem bolos."
Ligo o computador, vejo mails, acho que vou ver só um episódio antes de começar a trabalhar, enquanto faço estiramentos e me visto para ir correr.
Não vou correr (está frio, chove, estou com fome, tenho de trabalhar).
Começo a trabalhar, mas paro pouco depois porque estou com fome e quero ir almoçar.
Recrimino-me: "Devias ter ido correr, depois queixas-te que estás gorda e que te perdes a elasticidade."
"Devia ter ido trabalhar para a biblioteca, porque é melhor fazer esta investigação agora que depois."
"Agora tenho de ir almoçar e ainda não trabalhei nada hoje, não devia ter ligado o computador se a única coisa que fiz foi ver filmes."

à tarde
Digo a mim própria: Vai lavar a loiça. Prepara a sopa. Não comas pão e bolos. Não bebas café, porque depois não consegues dormir.
Fico o tempo todo sentada ao computador, com pequenos intervalos em que não aguento mais e me dá fome de bolos, torradas e quejandos.
Recrimino-me: "Não consigo terminar o que me tinha proposto fazer hoje - porque é que perco tempo a ver filmes?"
"Devia ter feito a sopa e lavado a loiça - assim quando a Mariana chegar tenho tempo para estar com ela em vez de estar na cozinha."

à noite
Digo a mim própria: Tenho de ter mais paciência para a miúda. Hoje não posso ver mais filmes. Tenho de a pôr na cama às 21h30.
Digo que não tenho tempo para ver as coisas dela porque tenho de fazer o jantar e lavar a loiça, e depois é pôr a mesa, jantar, levar tudo para a cozinha, e no fim estou cansada e a única coisa que me apetece é ver filmes, e enquanto os vejo deixo o tempo passar, porque Mariana também está entretida.
Recrimino-me: "Estás com falta de paciência para a miúda porque tens de ir fazer sopa e lavar loiça, enquanto ela te solicita para tudo e mais alguma coisa. Se tivesse feito a sopa antes, isto não acontecia."
"Em vez de estares a ver filmes devias estar com a Mariana e a pô-la na cama cedo"
"Meu Deus! Já são 22h! Não há tempo para ler história porque já é tarde e ela tem de ir para cama!"
"Já estou na cama há uma hora e não consigo adormecer. Não devia ter bebido o raio do café. Ainda por cima comi torradas e não corri. Vou ficar cada vez mais gorda..."

no banho
Digo a mim própria: "Fecha a água: só se gasta água e gás, e além disso é pouco ecológico. E fico com a casa-de-banho toda molhada."
A água quente cai na cabeça e sabe tão bem. Enquanto ponho champô não a desligo porque depois começa fira.
Recrimino-me. "Tanto tempo no banho... É a factura do gás e da água a aumentar. E esta casa-de-banho gelada, com água a escorrer pelas paredes vai demorar imenso tempo a secar. Porque é que não tomei um banho rápido?!"

Sempre assim...
Pois bem: FARTEI-ME!
A partir de hoje não me quero recriminar - assim que começar a dizer "devias estar a fazer isto ou aquilo" quero fazer exactamente isto ou aquilo. Quero para de me recriminar e de me culpabilizar. se não consigo viver com o prazer que as coisas me dão, tenho de acabar com o sentimento de culpa que fica sempre. Acredito que haja alguma mudança, porque pelo menos algumas já se instalaram no meu modo de vida e tem corrido bem.

Deve durar três dias (um já passou) mas ao menos são três dias de saúde e de massagem ao ego. Faz sempre bem!

2 comentários:

gralha disse...

É muito, muito difícil trabalhar "por conta própria" sem ninguém nos impor horários. Não tens nenhum gabinete na tua instituição de acolhimento? Não te recrimines: premeia-te! (e perdoa-te, o mundo já está cheio de críticos)

mm disse...

Obrigado Gralha. Segui o teu conselho e fui para a minha "instituição": distraio-me muito mais com os colegas; fico com sono; e não tenho vontade de trabalhar. Parece que volto a quando trabalhava lá...