22 agosto 2012

Férias - parte III


Um projecto realizado: ir de Lisboa (Tróia, mais precisamente) a Tavira de bicicleta.

Foi uma prova dura e é disso que tenho mais pena: que não tenha sido um passeio. Tenho de treinar para que no próximo consiga desfrutar mais e sofrer menos com dores. Mas adorei pedalar durante 6 dias, ver um novo Algarve que eu desconheço (tanto o que não gostei como o que gostei). Em Albufeira, do mais turístico que há, regozijo-me em ter usado as escadas rolantes que levam as pessoas de e para a praia, com a bicicleta. Subir com a bicicleta na escada rolante é entrar totalmente no espírito ALLgarve.
Gostei do Carvoeiro, de Salema, apesar das subidas assassinas.
Gostei dos bocadinhos de ecovia de terra batida.
Gostei de sentir que estava a fazer uma coisa diferente (embora seja igual à de muitos outros, mas é um grupo onde gosto de me sentir igual).
Gostei da noitada de assistência ao karaoke na primeira noite em S. Torpes, que nos deu repertório para o resto da viagem.
Gostei da sensação de "Verão Azul" em todas as descidas vertiginosas com o bocal do camelbag a trepidar por causa da velocidade.
Gostei de pedalar à noite ao longo da albufeira da Ribeira de Odiáxere e também na estrada de Pedralva a Budens, enquanto cantava a Maria da Fonte, precisando-me nos versos "E àquela hora por ela marcada de noite ou de dia/ O Chico da Nora na encruzilhada esperava a Maria" sabendo que o meu companheiro de viagem haveria de estar à minha espera mais à frente.
 

Gostei de muita coisa, quero gostar mais vezes.
Bicla, aguenta-te, que aí vou eu!!!
 
 

     Eu lá ao fundo, vitoriosa, no Cabo Sardão.

 

01 agosto 2012

6 aninhos

Ainda antes do dia começar, um pesadelo em que me esquecia da minha criancinha numa festa ou num sítio qualquer (sonhos são coisas vagas e não me lembro muito dos pormenores). Só me lembro que me esqueci da filha e voltei para trás à procura dela, a perguntar por ela e com um sentimento de culpa enorme (como é que foi possível esquecer-me da Miúda-Espectáculo?!). Felizmente foi um pesadelo e assim que acordei vi-a deitada no chão da sala (é onde gosta de dormir agora e eu nem discuto essas coisas em férias), com a caixa de Legos, oferecida no dia anterior ao aniversário, rodeada de construções de casas, oficinas, carros e gatos.
Fui fazer o bolo para cantar os parabéns e quando ouvi remexer espreitei a sala: assim que se levantou foi brincar com os Legos. Fiquei mesmo contente por ter oferecido uma coisa de que ela gosta.
Depois foi o cinema, Madagáscar, num Londres gelado (para a próxima tenho de perguntar se têm mantinhas para emprestar durante a sessão, porque é muito, muito frio) e saída apressada para ir buscar a comida, para ir depois apanhar uma amiga, para depois chegarmos à festa apenas meia-hora atrasadas, mas as primeiras, como habitual.
Saídas do carro mostrei nova prenda: TROTINETE!!!
Há tanto tempo que ela falava na trotinete, que lhe quis oferecer. Tinha receio que fosse algo só momentâneo, mas, apesar de ter passado pouco tempo, já me apercebi que é uma prenda que a faz feliz. Feliz é pouco: eufórica! Canta, fala, diz "a minha mãe querida" e desliza e ondula pelo passeio e pela estrada com um enorme sorriso, que contagia qualquer um por quem ela passa. É um expansivo contagiante.
No lanche, muitos amigos, mais adultos que crianças, mas é o que se arranja, e o que se arranjou foi um grupo de pessoas que gosta muito dela.
Chegámos tarde a casa e ela acabou por adormecer na varanda, tapada com um pano, ao lado de um boneco. Fofinha...
E eu tenho cada dia mais a certeza de que ela é mesmo espectacular.