18 novembro 2011

memory lane

Recordar os posts antigos é uma grande viagem. É uma viagem a situações ultra-superadas, emoções que já foram, outras vezes confirmar que somos as mesmas, dificuldade e stresses que passaram e, não fosse estarem relatados, nem havia memória deles, as alegrias tidas por isto ou aquilo que agora tomamos por certo, outras infelicidades que não mudam com o tempo.
Acabo por ter sempre um certo carinho e alguma pena de mim. Também me acho piada em alguns momentos.
Há também o crescimento da miúda, com as graças permanentes e outras esquecidas, a evolução constante - parece outra pessoa
A relação entre nós também parece que não era a mesma, que agora é outra. É sempre estranho. Não consigo descrever.
Escrevia mais, mais vezes, sobre mais coisas, a vida mais exposta. Acho piada a forma como escrevia. Só passado algum tempo é que consigo achar isso. Na altura parece sempre banalíssimo e mal-alinhavado.
Gostava que isto fosse um local de exercício de escrita, onde me esforçasse para escrever bem, mas na maior parte das vezes entra-se no registo diarista e depois é dificil ter piada nesse registo. A primeira pessoa é dificil. A terceira soa melhor.
Tudo isto porque reparei no decréscimo de posts e, ao passear os olhos pelo passado, constatei também que o tamanho tem diminuído.

1 comentário:

Amanda Grazielly disse...

Hahaha é verdade, que bom que evoluimos!!
Eu tbm tenho essa mesma sensação!