28 outubro 2011

doclisboa

Parece-me que é a primeira vez que o DocLisboa me vai passar completamente ao lado. Bem tentei ver se havia alguma sessão compatível com a maternidade, mas nada. O que é que aconteceu?!
Já não há sessões o dia todo. Pelo menos para ontem e hoje só às 16h e a essa hora já não é compatível com horário da escola da miúda; à noite é impossível...
Therefore:
- DocLisboa, olá-adeus... Até para o ano!
 
Que pena...

21 outubro 2011

adrenalina

Sem dar por isso, às vezes vêm parar às mãos livros que de outro modo não leria. Desta vez foi o Adrenalina, um policial. Nada de especial no estilo, nem na história, nem nas personagens, mas a verdade é que li 400 páginas em 5 dias, quando o meu último livro (Charles Dickens, O homem e o espectro, umas 100 páginas em livrinho de bolso) me demorou cerca de duas semanas!!!
Enfim, para quem perde tempo com séries policiais na TV não deveria ser anormal, mas sempre considerei a leitura outro campo, onde não se misturava o fast-food comercial. Olha, enganei-me... E diverti-me.
 

cenouras

Havia uma "cenoura", na ideia do doutoramento, que era ter tempo meu, deixar de me sentir presa e de sentir que alguém me estava a fazer um favor.
O doutoramento chegou, trinquei a cenoura, mas afinal não me saciou. E eu questionava "porquê?! Um sonho, um projecto de vida realizado e porque é que não estou histérica de felicidade?"
Percebi finalmente, foi porque no meu sonho eu ía ter tempo meu, deixar de me sentir presa e de sentir que alguém me estava a fazer um favor, e neste momento, porque tenho de conciliar trabalho com aulas e com trabalhos de seminário o tempo foi à vida, estou dependente de "amas" para ir às aulas e continuo presa ao trabalho e, no final disto tudo, acabo por não conseguir dedicar-me ao doutoramento como queria.
Sei que estou a fazer o quer quero, sei que é apenas uma fase díficil, e por isso todo o esforço é recompansado.
Mas já tenho uma nova cenoura à minha espera: o dia em que efectivamente deixar de trabalhar, de cumprir horários, de me esforçar por um projecto que não é devidamente apoiado.
Mesmo sem cenouras andaria para a frente, mas a gulodice impele a viagem.

14 outubro 2011

descontos à rasca

Adorei esta notícia: Durante os meses de Outubro a Dezembro de 2011, todos os desempregados e jovens à procura do primeiro emprego beneficiarão de um desconto de 50% em todos os cursos da Booktailors. É aproveitar!!!!

formigas

Tenho a casa cheia de formigas. Qualquer pequena coisa elas atacam em força e desproporcionalemnte: cerca de 1000 formigas para dois bagos de arroz, 20 para um pano de limpeza.
Para dar conta delas é preciso ter a louça sempre lavada, a casa aspirada, os caixotes do lixo vazios.
Deve estar a resultar, porque nos últimos tempos o desespero delas é tanto que até atacam copos com água, mas como a água não deve ter interesse, começaram a suicidar-se. Em meio centímetro de água 30 formigas afogadas...

07 outubro 2011

Memórias dos sons

Há sons que fazem parte das nossas memórias e que já não são recuperáveis: os das K7 dos spectrums, enquanto os jogos carregavam, e os do final dos vinis, quando a agulha saía, ou nos telefones de disco, quando o disco ia para trás depois de marcar um número. São sons engraçados.
As campainhas dos eléctricos, quando para pedirmos para parar tínhamos de puxar um cordão que corria no tecto.
Muitos dos sons que agora correm não tem uma ligação causa efeito entre uma material ou uma acção e o som produzido. É apenas um som, como podia ser outro qualquer. E de repente os sons deixam de fazer sentido, de ter uma origem.
Nem sei bem que reflexão é esta, mas é qualquer coisa que me dá que pensar, embora não saiba em que sentido.