29 setembro 2011

ortografia portuguesa

Sabiam que por volta de 1500 houve um dicionário português em que se defendia a simplificação da escrita e a aproximação à oralidade? Por exemplo, escrever umedo em vez de húmido, umano em vez de humano e sustância em vez de substância? O que é engraçado, pois parece que a discussão é nova, mas afinal não é. Sabiam que esses primeiros dicionários/gramáticas tinham por norma escrever o erro e depois a forma correcta: assentar (errado) - sentar (certo)?  Ou seja, se não soubessemos falar mal, não saberíamos como falar bem*. Vemos também qual a evolução fonética da língua e como essa evolução foi travada e fez marcha atrás tantas vezes, por haver da parte dos intelectuais o desejo de aproximar a língua ao latim (que era tido como mais culto).
A exposição tem piada, especialmente se lermos os painéis (ou se alguém os ler para nós).
Aconselho: Faculdade de Letras de Lisboa até 8 de Outubro
Toda a exposição é feita com base nos livros da biblioteca de Leite de Vasconcelos, alguns deles diponíveis on-line em http://legadovasconcelos.fl.ul.pt/.
 
* Mais ou menos: as formas erradas não ocupavam assim tantas páginas. É mais parecido a uma errata.

22 setembro 2011

Joan Baez

Quando tinha cerca de 8 anos fui com os meus e as minhas irmãs de carrinha (uma Toyota Hiace branca) de férias pela Europa. Nessa época ainda havia Jugoslávia, que atravessámos, e a Grécia foi o ponto final da viagem. No regresso atravessámos de barco o mar Adriático, até Itália. Dormimos num barco enorme uma ou duas noites numa zona comum onde toda a gente (malta da mochila às costas) dormia no chão e convivia. Não me lembro, mas acho que os meus pais deviam ser os únicos valentes com as três filhas atrás. No barco os meus pais travaram conhecimentos com algumas pessoas (um deles fez uma caricatura da minha irmã mais velha, com um nariz enorme, de que ela nunca gostou), outros mais tarde foram visitar-nos em Lisboa e levaram como oferta aos meus pais um disco da Joan Baez.
Durante muito tempo esta foi uma das minhas cantigas preferidas.

19 setembro 2011

paixão post-mortem

Estou apaixonada por homem morto...
Foi actor, autor e empresário de teatro. Viveu no séc. XVIII, andou pelos principais teatros da capital, foi amigo de ilustres conhecidos, viajou até ao Brasil e deixou uma extensa obra inédita.
Adorá-lo-ei para toda a eternidade, porque graças a ele, ao trabalho que ele fez e à importância que teve no meio teatral da época, eu obtive o meu primeiro momento de realização profissional: a aprovação da minha bolsa de doutoramento.
 
Obrigado AJP!

14 setembro 2011

sobre mosquitos mortos no pára-brisas

"É limpá-los enquanto estão frescos!"*
 
*Cito a minha mãe citando a minha irmã citando-me a mim (ou seja, fui eu que o disse, mas já nem lembrava)
 
..porque na minha família há várias opiniões sobre o assunto.

13 setembro 2011

A ver se não me esqueço

Dedicar um tempo à filha ao fim do dia a 100%. Disponibilidade total, para que depois tanto uma como a outra nos possamos dedicar a 100% às nossas tarefas privadas.
 
Às vezes esqueço-me de como um pouco de brincadeira conjunta cria muito melhor ambiente do que uma atenção parcial enquanto, paralelamente, nos dedicamos a outros trabalhos.

02 setembro 2011

É só um "post" de início de "saison"...

O trabalho de novo, a escola, levantar com despertador, os
compromissos, tudo de novo. Até as olheiras já cá estão, apenas em
dois dias...
Para sabermos mesmo que acabaram as férias, até esta chuva incessante
que nem nos deixa sonhar com um fim-de-semana para relembrar os
prazeres do Verão.
Mas as férias foram das melhores. Iniciei (conscientemente) uma nova
forma de passar férias que é ir visitando outros fereantes pelo país.
Desde que a Mariana nasceu que é isso que faço, mas este ano, devido
ao grande sucesso que tive, decidi que é isso que quero continuar a
fazer. E conhece-se o país inteiro (não neste ano, mas os próximos
contribuirão sem dúvida para isso).