22 fevereiro 2011

num país de bananas governam-se os sacanas

Ontem ouvi no parque "num país de bananas governam-se os sacanas" e parece que Portugal se reduz a estas duas classes e que nós ou somos uma ou outra. Que temos de optar. Ou somos bananas ou somos sacanas.
Ontem senti a chegada do fim do Inverno, ou melhor, ouvi-a. Nas traseiras tocava um solo de saxofone e à noite ouvia-se bem. Gosto de ouvir a música dos outros e fiquei debruçada na janela da casa-de-banho um bocado a ouvir jazz na cidade meio adormecida.
E quando constato que gosto destas coisas tão simples (estar em casa, ouvir a noite, sossego, etc) dou-me conta que é tão difícil ter isso. E eu quero mesmo pouco.
Na segunda passada assinei o contrato. Duas horas antes de o fazer chamaram-me para dizer que não havia dinheiro e que não sabiam quando me iam pagar. Mas que fizesse o contrato, porque sempre era melhor. ???!!!!
Enfim, portanto sou banana: trabalho, acato tudo, não sei se me pagam.
O que posso fazer? Ser sacana? Fazer de conta que trabalho?
O que eu gostava era que houvesse respeito de ambas as partes e que não fosse necessário optar por uma destas classes.

Mas na verdade, já estou muito cansada de ser banana...

3 comentários:

Geraldo Brito (Dado) disse...

Saudações e parabéns pelo blog!

Um brasileiro disse...

ola. estive por aqui. muit legal e interessante. gostei. apareça por la. abraços.

meperdidemim disse...

Adorei o texto, tb sou banana,bjs