17 janeiro 2011

Epopeia Trágica do Quotidiano

Primeiras estrofes do primeiro canto da Epopeia Trágica do Quotidiano

Eu canto a minha incompetência
no campo da burocracia confirmada;
Definitivamente não domino a ciência
Dos papéis que quase sempre dão em nada.
E dos outros gabo eu a paciência
No domínio da funesta papelada.
Eu canto a minha viva antipatia
Do convívio co'a nefasta b'rocracia.

Grafo bem, não dobro e não rasuro,
E na quadrícula de espaço restritivo
O nome vai em maiúsculas e a escuro.
Da morada levo o comprovativo
E do pagamento o mesmo não descuro.
De tudo cuido como dum ser vivo.
Para ouvir do vendedor atento
Que é inválido o infausto documento.

nota: refere-se à tentativa de adquirir um passe para a Mariana.

1 comentário:

pekala disse...

aqui há dias fui tratar de um papel à junta que pediram na escola do míudo,a prova de agregado familiar.só era preciso um carimbo,mais nada.mas já no ano passado,por causa da porcaria do mesmo papel tive que lá voltar seis vezes(não estou a exagerar).este ano quando lá fui entrou por acaso o sr.do café aqui em baixo que conheço bem e é secretário na junta.bastou ele perguntar à mulher "está tudo bem?" para ela pôr imediatamente o carimbo e mandar-me embora dali pra fora,sem questionar nada...é assim que funciona:(