31 março 2010

caso arquivado

Fiz frente, argumentei, mostrei e provei as minhas capacidades. Perdi a batalha.


Vejo aquela série dos Casos arquivados, em que há sempre uma pessoa boa que é assassinada. O assassinado é em geral uma pessoa que luta pelos direitos dos outros, é íntegra, combate a descriminação e a desigualdade, e estava a um passo de fazer a diferença. Em geral é morto por alguém que lhe era próximo e que gostava dela. Uma pessoa que só precisava de uma coisinha qualquer, não lhe queria fazer mal, mas que explodiu.

Tenho a pessoa ideal para a personagem de assassinado; mas não me apetecia nada ser o assassino, embora estejamos no enquadramento certo.

Sem comentários: