19 fevereiro 2010

O que é que eu faço?

É hoje que começam a partir a minha casa, afinal!
E eu estou aqui com uma dúvida (com várias, mas vou expôr esta) sobre a cozinha.
Eu tenho um daqueles poiais onde se põe o fogão. O empreiteiro diz que devia arrancar tudo, que ficava com mais espaço e podia pôr armários e tal. Mas eu gosto muito daquilo e não queria tirar, principalmente porque depois não posso voltar atrás. Tem um grande pedragulho e pedragulhos daqueles já não se arranjam. Além de que depois que armário é que eu punha ali que desse com os que eu já tenho?
 
Por outro lado, sei que não vou ver o poialinho, porque vai ficar com um fogão e um forno em cima. E se calhar vou ter muito mais trabalho a arranjar uma forma de que me caiba tudo ali (a placa e o forno).
 
O que é que eu faço?
 
 
 

6 comentários:

Raquel disse...

Olá,

De vez em quando venho aqui para através de outro blog e nunca disse nada, mas hoje não resisti!
É que eu também cresci com uma coisa destas na minha cozinha e traz-me imensas recordações de infância!
É de facto um dilema. É muito giro, mas muito pouco prático....

Supertatas disse...

eu punha um fogão com forno em cima disso e pronto :')

mm disse...

Ah, Supertatas, mas é que "um fogão em cima disso" faz com que o fogão fique à altura do peito. Imagina se decido fazer uma grande panela de sopa? Nem vejo nada lá para dentro. :)

Raquel, o meu problema é esse: deixar-me levar pelo sentimental em detrimento do prático.

beetle disse...

Olá,
Também adoro esse recanto!
E que tal pores só o fogão, com uma pequena base (armário muito baixo) ou prateleira, e pores o forno (de encastrar) noutro armário da cozinha? Ou entao lado a lado... Não é obrigatório que fiquem um por cima do outro...
A propósito..a tua cozinha é o máximo!

Beijinhos

tiaguini disse...

Os empreiteiros têm a sensibilidade de um tractor... O teu poial é muito lindo, era um desperdicio manda-lo fora.
Concordo completamente com a Ana (aka beetle).

mm disse...

Beetle, gostei muito do que disseste: é exactamente o que eu penso. Eh! Eh! Obrigado também, Tiaguini, pela força.

Nota: ofereceram-me um reverso. Temos de ir fazer vias de dois largos com descidas em rappel.