18 fevereiro 2010

...

Muitas vezes me parece que não posso ter grandes planos ou projectos. Se me meto a concretizá-los, por alguma razão não se realizam; se não o faço, fico a pensar que o deveria ter feito.
Isto só para dizer que a minha grande viagem com a minha filha (grande para nós, porque nunca passámos das casas de família) se calhar terá de ficar em águas de bacalhau. Isto porque hoje o médico disse que, após a operação, é melhor ela não andar de avião.
Tinha de ser. Lembro-me quando estava para pagar os bilhetes de avião e estar receosa de o fazer porque alguma coisa poderia correr mal, os amigos perguntavam: "Mas o que é que pode correr mal?" e eu respondia "Há sempre qualquer coisa que pode correr mal." Porque sempre houve qualquer coisa que correu mal. Por isso é que não gosto de fazer planos e de me comprometer: quando há datas certas para as coisas boas, elas acabam sempre por ser datas não marcadas de coisas más.
Enfim, cansa-me viver assim. Parece que nunca posso ficar contente. Já quando fico é com desconfiança e quando se prova que essa desconfiança tinha razão de ser, mais razões tenho para nunca ficar contente com nada.
 
Estou farta de levar porrada da vida.

3 comentários:

Zé Maria disse...

Ó moça, isto é assim mesmo. És muito nova para estares farta do que quer que seja. Os meus filhos sempre adoeceram nos momentos mais críticos. Não há volta a dar.
Não podes adiar a operação para depois da viagem? Não podes antecipar a viagem para antes da operação? Espírito positivo é que é preciso.
Coragem!
Beijinhos.
ZM

mm disse...

Não, não posso adiar uma nem adiantar outra. É só esperar que afinal ela possa ir.

Depois logo se vê. Até lá não vou fazer nada, porque na realidade, uma pessoa tem sempre esperança de que as coisas corram bem.

pekala disse...

coragem,já dizia a minha avó que nem sempre o diabo está atrás da porta!:)