30 outubro 2009

perder o viço

Muitas vezes sinto-me como a flor do "ET", que murchava quando o ET estava doente e ficava viçosa quando ele estava bem.
 
Andava outra vez com energia e  vontade fazer coisas, mas hoje apercebi-me que a otite da miúda continua e, quando dei por mim, já estava de novo a arrastar os pés, a olhar para o chão de mãos nos bolsos e a falar só com monossílabos.
 
Um mês de otite é de mais! Três antibióticos de seguida (e estou para ver que o 4º ainda virá a caminho). Provavelmente será de 6 em horas, super-amargo, a ter de tomar depois de qq coisa. Tudo o que fôr para dificultar, virá. Havemos de ter mais consultas, mais operações, mais chatices... e mais doenças e mais problemas trazidos pelas novas tentativas de cura dos novos problemas.
É um suplício interminável...

29 outubro 2009

a minha banda sonora do momento

Desde que descobri que afinal sempre posso ter som no computador do trabalho tenho começado os meus dias com Samuel Úria. É tão bom...
A letra continua a ser uma coisa que não compreendo muito bem, mas gosto tanto de ouvir que não me procupo muito em saber o que é dito. Mesmo bom... o "Barbarella e Barba Rala". Espero poder investir uma das minhas noites de saída a ir ver um concerto dele.
 
Uma vez viu-o por acaso, no coreto do jardim da Estrela. Acabei de o ouvir, o concerto acabou e apanhámos um táxi. E no táxi deu a música! Até os camiões do lixo por que passámos tinham piada. O mundo fica logo diferente com banda sonora.
 

27 outubro 2009

Começaram novamente os problemas.
Deixei de ter força para as minhas batalhas.

21 outubro 2009

Aos sonhos

A batalha continua... mas sinto-me a perdê-la.

Há umas noites, depois de 4 dias (ou menos) sem comer chocolates tive o meu primeiro sonho de carência: numa montra de uma pastelaria havia croissants feitos com massa de chocolate, com recheio de chocolate e povilhados com chocolate. Ao lado estavam bolas-de-berlim com massa de chocolate, com recheio de chocolate e polvilhadas de chocolate. E ainda um outro bolo de massa de chocolate com recheio de chocolate e coberto de pepitas de chocolate.
Era a mais linda montra dos meus sonhos!...

Não cheguei a comer nenhum, porque demorei muito tempo a decidir e entretanto o despertador tocou. Vou ver se volta a esse sonho. Mas para isso terei de iniciar novo período de abstinência.

14 outubro 2009

batalha final: rabo 1 - marta 0

De há uns tempos a esta parte apercebi-me (de várias maneiras e em vários momentos) de que uma entidade estranha está a tomar conta do meu corpo.
Para que seja perceptível posso dizer que o meu rabo (ou o que era o meu rabo, porque agora é um corpo estranho) começou a crescer para outras partes do meu corpo.
 
Antigamente, havia uma parte do meu corpo a que eu chamava "rabo": começava logo abaixo das costas, terminando imediatamente antes das pernas. Era molinho e com alguns músculos. Fazia parte integrante de  mim: ia aonde eu ia, mexia-se quando eu me mexia... A bem dizer, não dava por ele.
Era facilmente identificável por mim e por qualquer pessoa: se houvesse uma foto minha de costas e se se pedisse a alguém para "delinear os limites do rabo da Marta", não havia que enganar.
 
Mas agora tudo mudou
 
Uma coisa mole, ondulada, cheia de tremeliques, ocupou o meu rabo e, como metástase, pretende abarcar toda a minha pessoa. 
O que antes era o meu rabo, tornou-se um organismo independente: mexe-se sozinho (dou um salto, e ele dá vários), começou a ocupar o meu corpo (cresceu para cima, surripiando um pouco das costas; e para baixo, "comendo" a parte cima das pernas), persegue-me para todo o lado, como um parasita, (quando me sento nalgum sítio, lá aparece ele, dos meus lados e atrás de mim, a aespreitar, cínico).
Todos os dias luto com ele: não me quer deixar vestir a roupa, recusando-se a entrar dentro dela e dificultando ao máximo o processo com a sua gigapresença; quando corro para o autocarro põe-se a fazer peso morto e a abanar-se só para me impedir de conseguir atingir o meu objectivo; no dia-a-dia aperta-me dentro da roupa de forma a sentir-me sempre desconfortável...
Enfim, a minha vida é um inferno.
 
Tenho medo de deixar de ser uma pessoa com rabo e passar a ser um rabo com uma pessoa. Tenho mesmo muito medo...
 
Por tudo isto decidi dar cabo dele. Iniciei o ataque e espero ter frutos em breve.
 
Desejem-me sorte.
 

13 outubro 2009

:)

Reparo que nos últimos tempos tenho sorrido muito menos. E nada mais documental que as fotos para provar isso mesmo: em quase todas as fotos em que apareço estou de trombas ou a pensar na morte da bezerra ou com olhos de carneiro mal morto. Enfim, sempre com uma ar de cachorro triste, mas sem o charme do bicho.
Razão pela qual decidi postar este milagre: estou a rir! E nem é de propósito!...

09 outubro 2009

A Direita está podre

Primeiro o ombro, depois um herpes e agora um treçolho no olho direito.
Não há (1/2) corpo que aguente!

07 outubro 2009

horários

Ainda andamos a ver se conseguimos acertar horários e fazer uma gestão do tempo que dê para que nós as duas acabemos o dia bem-dispostas. Não tem sido fácil. Quer dizer, acabar o dia bem-dispostas ainda vai, mas começá-lo da mesma maneira parece que já é impossível.
Sim, a prioridade agora terá de ser dispôr como deve do nosso calendário.
 
A ideia que tinha de que viver uns tempos em casa dos pais era ter mais tempo livre, mais calma e sossego, revelou-se completamente errada.Parece que não há tempo para nada nem forma de o arranjar. Até tenho medo de pensar como vai ser quando voltarmos a ser só às duas... Não sei se a miúda se habitua a aturar-me de novo 24h por dia.
 
 

01 outubro 2009

Apetece-me livros e leituras e coisas com letras impressas em papel ou que partem daí.