08 julho 2009

stress

stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress, stress

vou buscar a Mariana, vamos ao parque apanhamos pinhas, encontramos umas pedras, partimos os pinhões e comemos.
eu dou voltas de barriga e subidas de frente numas barras, ela corre descalça pelo caminho.

chegamos a casa com as mãos sujas de resina

1 comentário:

Ponnette disse...

que poema tão bonito