27 julho 2009

pré-saudades do bairro

Agora quando me passeio no bairro que vou deixar tenho cada vez mais pena: encontro pessoas conhecidas nos cafés, no parque infantil, no supermercado. Há lojas abertas a toda a hora, fruta boa em imensas mercearias, pessoas que oferecem doces à Maluca a toda a hora.
Já me despedi do senhor que guarda a capela, depois hei-de dizer adeus à senhora Maria do café, às minhas vizinhas, ao segurança do Centro de Saúde. E tenho pena de todo o pessoal que conheço e que mora ali e que não aproveitei. Espero que no bairro novo tenha mais tempo para isso (acho que sim, é tudo mais perto: creche, trabalho, avós, fora-de-Lisboa)
Espero que os novos inquilinos aproveitem bem o bairro: eu acabei por não aproveitar muito e acho que vou ter pena de sair de um sítio com tanta vida.
A casa com menos móveis fica bem mais agradável e depois de pintada vai ficar espectacular. Já fiz chaves do correio e tudo para lhes dar.
Espero que seja uma boa relação: só oiço histórias horríveis de inquilinos e fico com um bocado de receio que me destruam a casa toda.
 
Enfim, às vezes acho que esta história de mudar de casa foi só uma maluqueira que me deu de repente e que levei a sério. Sinceramente, ainda não sei mesmo porque é que estou a sair de lá.
 
Ah,  e ontem, finalmente, a Miúda comentou o facto de termos só metade dos móveis em casa - estava a ver que nem ia dizer nada.
E também não sei como é que depois destes próximos 3 (ou mais) meses em casa dos avós a vou conseguir levar para a  casa nova (que felizmente será bem mais perto da creche e dos avós).
 
Vai correr tudo bem!
 

Sem comentários: