29 maio 2009

Gostei da casa de hoje.

Com:
  1. sol
  2. quintal
  3. tábua corrida
  4. 1º andar
  5. e com amigos e família à volta.
Será que me vou render ao aconchego do bairro? Procurava ter o meu bairro, mas acho que o meu bairro nunca deixou de ser o meu bairro. Fui lá hoje ver uma casa e nos 3 minutos que fiz a pé encontrei 3 pessoas, despachei 2 recados e ainda almocei com a irmã e sobrinho. Isto é um luxo ou não é? A 10 minutos a pé do trabalho. É um luxo ou não é?
 
Quanto mais casas vejo mais perdida fico, mas talvez, no meio da barafunda, em vez andar em círculos ande em espiral e talvez chegue a algum lado.
 
Mas lá grande é que a casa não era e o cheirinho do prédio deixava muito a desejar.
E a vizinhança social?... É preciso investigar.
 
Curiosidade
 
Naquele mesmo prédio morou uma senhora que foi a mulher-a-dias dos meus pais durante muito tempo. A Rosa. Mas ela morava no vão da escada. Lembro-me de achar a casa muita gira porque tinham um beliche que era ao mesmo tempo um quarto. Também me lembro que não gostava de fazer chichi lá porque não tinham casa de banho e a sanita era encostada ao fogão, sem divisórias!!!

1 comentário:

pauinha disse...

Estive a pensar e acho que talvez a vizinhança não seja a melhor. Acho que o bairro é fixe e com sorte até vai ser melhor, pois pode ser que gente nova e gira (como tu) venha para cá, substituir os velhinhos que vão desaparecendo (por isso até podem aparecer casas melhores, naquelas ruas giras). Mas sendo um investimento para a vida... Ter que ouvir "ai, lelo!" todos os dias.. não sei. É pena. A casa era gira, era bom estares aqui perto e o terracinho também era bom. Mas tu é que sabes... É pena. Devia ser mais fácil, né? Beijinhos