03 abril 2009

em parafuso

Ando cansada. parece que não acontece nada. De emocionante não. Nem de memorável.
 
Penso, às vezes, em comprar uma casa nova: sair desta, alugá-la e meter em mais um empréstimo sem fim.
Quando eu tiver 70 anos a vida vai ser uma calminha, O pior é que me reformando aos 65, com a reforma mínima, como é que ainda vou conseguir pagar 5 anos de empréstimo? (estou a gozar, claro... Estas questões não fazem parte do meu rol de dúvidas existenciais).
 
Agora ando concentrada no KF, porque vamos ter uma gala a 18 de abril, e na escalada, porque gostava de melhorar e de subir de grau. Mas parece-me que já estou a perder a pica.
Antes havia sempre imensa gente com quem gostava de ir escalar e agora parece que as pessoas que mais gostavam não escalam e há outra com quem já não me dou.
O pessoal que sai dos cursos é fixe, mas não me dá a pica que os outros dão. Saio sempre de lá um bocado desmotivada. Além de que tenho sempre de tomar um pouco de conta deles e tomar conta de pessoas cansa-me: são assim todos os dias da minha vida. Às vezes também gostava que tomassem conta de mim, um bocadinho.. Não muito.
 
Enfim.
 
Também queria ver se deixava de comer doces e farinhas e o raio do pessoal enche a sala de trabalho de amêndoas de chocolate das boas e não há como resistir. É que vou ao pacote e tiro logo à meia-dúzia. E depois de as comer todas, tenho de lá voltar outra vez: já estou agarrada!
 
A Mariana a deitar-se tardíssimo até me deixar louca. E durante a noite tosse, tosse, tosse até eu ficar angustiada. Depois, sai da cama dela, vem para a minha e não me deixa dormir mais.
Parece que ando com sono há 2 meses. Não percebo porquê, porque na verdade até durmo.
 
Falaram em serotonina e, zás, instalou-se logo a dúvida: tenho de falta de serotonina?
Que raio! De onde é que estas dúvidas idiotas vêm para me aterrar na cabeça desta forma?!
 
Daqui a pouco vou almoçar com uma amiga. Venho melhorzinha, que a amizade é sempre um bom remédio para á hipocondria existencial.
 
 

Sem comentários: