19 janeiro 2009

é mesmo assim

No Sábado lá estava a Mariana a coçar repetidamente a cabeça. Fui inspeccionar, com medo de piolhos e lêndeas, mas apareceu-me pele seca. Muita! Deve ser das lavagens de cabelo espaçadas. Ontem lavei-o e pareceu-me bem, ou melhor.
 
Acho que não aguentaria mais uma rotina. Quer dizer, é claro que aguentava, mas... nem sei.
 
E mais uma vez não consegui fazer uma coisa que queria: no fim-de-semana passado, quando combinei escalar, ela ficou com febre; neste choveu. Nunca, mas nunca consigo fazer uma coisa de que goste. Quando, passado imenso tempo, planeio e digo "vou", apesar do trabalho que me dá ir com ela e do medo que tenho que fique doente, não vou.
Esta coisa cansa-me tanto!
E depois cai-se numa desistência, numa aceitação de que "a vida é mesmo assim". E a vida só é "mesmo assim" quando é uma merda. Nunca ninguém diz "a vida é mesmo assim" quando corre bem.
Não percebo porque é que a forma de ser da vida há-de ser contra os nossos desejos, mas parece que é.
Eu não quero que seja.
Quero que vida seja mesmo assim boa, fixe, alegre, entusiástica!
 
Por enquanto é mesmo assim à antiga. Vamos ver se muda, que já estou farta até...

Sem comentários: