08 dezembro 2008

Nem sei que diga...

Estou a preparar-me para segunda-feira e a pen onde tinha guardado as coisas desapareceu. Quem, como? Não sei.

Culpo a pirralha, que insiste em mexer nas minhas coisas.

Ainda tenho tanto para lhe berrar, tantos nãos para lhe dizer. Bolas! Eu vi-a ao pé do computador, mas ela tinha acabado de acordar e não me apetecia começar logo. Ainda por cima eu estava a acabar de ver um filme e não queria perder o final.

É que ela consegue estragar coisas tão rapidamente. E depois continua a querer que jogue com ela à bola e diga que sim, que é o urso, quando eu ando desesperada à procura daquela porcaria. Já vi em dois sacos de lixo, que não tem piadinha nenhuma.

E na verdade nem sei se foi ela. Mas como não responde às minhas perguntas, não me diz nada, apanha com as culpas.

Há alturas em que fico mesmo desejosa que a miúda fale e consiga responder a perguntas simples como esta "mexeste nalguma coisa?", "onde está isto?".

É que ando sem dinheiro e parece que tudo se estraga, rouba, vai para o galheiro de formas diferentes. É sempre preciso gastar dinheiro de formas diferentes.

Hoje ela foi saltar para cima da "varanda" do telhado. Eu berrava "Não! não!", mas não fui a tempo e a camela partiu-me uma telha. Depois perdi para aí uma hora a tentar tapar aquilo com um plástico, enquanto não vêm arranjar. Porque se não, infiltra-se água e depois cai o tecto da vizinha de baixo e lá vou eu pagar de novo. Ainda assim vou ter pagar o arranjo no telhado.

Estou farta de pagar. Uma pessoa faz uma estimativa de quanto vai gastar e acha que sobrevive e depois surgem sempre montes de merdas que nos lixam.

Estou farta.

E cansada de estar cansada.

Sem comentários: